e-Política
MadsonVagner
jornalista e escritor

Abstenção não é solução, apesar de não se visualizar aceno de mudança pela urna.
[Opinião] Luiz Carlos Borges da Silveira é empresário, médico e professor. Foi Ministro da Saúde e Deputado Federal.



[ Ceará ]

A campanha eleitoral dentro da aliança governista no Ceará começa a tomar um rumo diferente. É perceptível a divisão de opiniões no cenário nacional na cúpula do Governo Camilo Santana (PT). Nessa sexta-feira, 21, o governador Camilo foi a Quixeramobim na companhia do senador Eunício Oliveira (MDB). O detalhe é que Eunício apareceu com um adesivo da campanha de Haddad estampado na camisa.

O outro senador da chapa governista, o ex-governador Cid Gomes (PDT), fez campanha do Pacajus, Região Metropolitana de Fortaleza, pedindo votos para o irmão, o presidenciável Ciro Gomes (PDT). A discordância sobre os candidatos à Presidência estaria dividindo as agendas de Cid e Camilo, que ainda não anunciou seu voto a presidente.



[ Brasil ]
Madson Vagner | 22/09/2018

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, parece entrar na fase do desespero. Desde a última semana, sua propaganda eleitoral tem dedicado boa parcela do tempo para analisar as consequências de votar em candidatos opositores como Marina Silva, João Amoêdo e Álvaro Dias.

O tucano responsabiliza esses eleitores por garantir uma disputa entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições. Colocando-se como a verdadeira direita e a melhor saída para a crise, Alckmin qualifica Bolsonaro e Haddad como a junção do extremismo e da corrupção.

DEBANDADA. A estratégia de Alckmin pode ser sua última tentativa de angariar votos, neste caso voto útil, para chegar crescer nas pesquisas e empolgar aliados. Nas últimas semanas a campanha tem sofrido com a debandada de aliados que migram para outras campanhas.



[ Cariri ]

Quem também teve a ideia de reunir comissionados e contratados da Prefeitura, foi o prefeito de Iguatu Ednaldo Lavor (PDT). A diferença entre ele e o prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, foi a clareza do recado. Enquanto Moésio preferiu as meias palavras, o que manda a experiência, Ednaldo foi direto: quem não estiver com ele “jogando no mesmo time”, será substituído.

Durante o encontro com os subordinados Ednaldo disse que a intensão é ficar com o mesmo time, mas se não vestir a camisa tem centenas querendo o lugar. A pressão de Ednaldo revoltou muitos dos presente que acabaram vazando o áudio da reunião nas redes sociais. Ednaldo vota em Marcos Sobreira para deputado estadual.

A oposição promete levar o caso à Justiça Eleitoral sob acusação de compra de votos, abuso de poder e uso da máquina pública. Vai dar o que falar!

(Com informações da coluna Brasília-Ceará, Rádio Plus FM, jornalista Donizete Arruda).



[ Cariri ]

Com dificuldades para convencer aliados políticos a votar nos seus candidatos, o prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola (PDT), fez o que se esperava: chamou os agregados e deu o ultimato. A reunião, anunciada como festa, aconteceu na casa do prefeito e reuniu, além de amigos e correligionários, contratados e comissionados da Prefeitura.

O encontro impressionou pelas presenças, mas acabou com uma avaliação negativa; foram poucas as presenças de lideranças independentes e sem ligação com a gestão. Ficou a impressão do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Moésio anunciou apoio as candidaturas de Zezinho Albuquerque para estadual e Moses Rodrigues para federal. Moésio tem encontrado dificuldades pelo fato dos dois serem tratados como paraquedistas e forasteiros. O detalhe é que Zezinho e Moses não compareceram à festa.




[ *Publicidade ]



[ Brasil ]
Madson Vagner | 21/09/2018

Acostumado a críticas pesadas contra seus opositores, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) elegeu como a bola da vez os institutos de pesquisas de opinião. Nas duas últimas, divulgadas por Ibope e Datafolha, Ciro aparece em terceiro lugar, cada vez mais distante do segundo turno.

As críticas aconteceram nesta quinta-feira, 20, durante encontro no Instituto dos Arquitetos do Brasil em São Paulo. Ciro avaliou que o cidadão maduro não deve se deixar influenciar por pesquisas. “Não é razoável que um cidadão amadurecido politicamente entregue sua decisão, sua preferência em relação à sorte da nação, da sua família, a institutos de pesquisa,” disse.

Num segundo momento, durante sua fala, Ciro foi mais contundente ao afirmar que “nem porque eles podem ser desonestos – porque, neste País, até deputado se compra, quanto mais instituto de pesquisa –, mas basicamente porque temos um sistema que podemos ter duas opções: uma no primeiro turno e outra no segundo”.



[ Brasil ]
Madson Vagner | 21/09/2018

A eleição presidencial no Brasil começa a ganhar repercussão internacional e incomodar setores da economia mundial. A prestigiada revista inglesa The Economist, desta semana, traz na sua capa uma matéria sobre a corrida a presidencial no Brasil, mais precisamente sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

A revista, considerada o mais influente veículo do pensamento liberal no mundo, publicou editorial com pesadas críticas ao presidenciável brasileiro. A matéria avalia Bolsonaro como uma ameaça eminente ao Brasil e a América Latina. Diz a manchete: “Jair Bolsonaro, a mais recente ameaça na América Latina”.

A manchete de capa é complementada com a avaliação: “Ele pode ser um presidente desastroso”. A publicação compara Bolsonaro ao presidente americano Donald Trump e afirma: “se a vitória for para Bolsonaro, um populista de direita, o Brasil corre o risco de tornar tudo pior”.



[ Cariri ]

Envolto em polêmicas administrativas com enfrentamento entre os grupos da prefeita afastada Neta Diniz e da prefeita interina, Francisca Ferreira, a Mundinha, o município de Jati entra em mais uma discussão. Desta vez a população quer saber onde foi parar o dinheiro arrecadado com o ISS (Imposto Sobre Serviços) das obras da Transposição do Rio São Francisco.

Entre os anos de 2013 e 2018 entraram nos cofres da Prefeitura R$ 21 milhões, uma média de R$ 4,2 milhões ao ano. A decepção da população é que, mesmo com as informações estando na Câmara, nada foi feito para cobrar uma prestação de contas sobre a destinação dos recursos.

Apesar de não confirmado, a informação é que a gestão da prefeita Mundinha prepara uma denúncia a ser encaminhada ao Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público. A crise política tende a aumentar.



[ Cariri ]

Com palanques bem parecidos, os adversários políticos de Aurora parecem buscar diferenças para demarcar suas posições nas urnas. O grupo liderado pelo empresário Marcone Tavares (PSD), ex-candidato a prefeito, anunciou apoio ao empresário Eduardo Girão, candidato do Pros ao Senado. A posição tem o apoio de sete, dos onze vereadores do município, incluindo o pedetista Wellington Rodrigues, conhecido como Budu.

O enfrentamento nas redes sociais tem sido feito pelo vereador João Filho (PSD), que garante: o trabalho vai ser forte. O outro senador apoiado pelo grupo é Cid Gomes (PDT) e o governador é Camilo Santana. O grupo ligado ao senador Eunício Oliveira na cidade, reclama que tem pedido voto fechado para majoritária com Camilo, Eunício e Cid, mas que não está tendo o mesmo tratamento. É a questão municipal se sobrepondo a estadual.





[ *Publicidade ]



[ Cariri ]
Madson Vagner | 19/09/2018

Em Jardim, as apostas é para saber quem terá mais força na disputa para deputado federal. De um lado, a disputa interna no grupo do prefeito Aniziário Costa (PCdoB), chama a atenção pela diversidade de nomes. São três e podem chegar a quatro.  Em meio a tantos nomes a federal, na base do prefeito a disputa estadual tem a unanimidade no nome de Fernando Santana.

O prefeito defende o nome de Inácio Arruda, mas o presidente da Câmara, vereador Zé Napoleão, está com Pedro Bezerra. Os vereador Pequim Roriz, Liliana, Carlos Costa e mais o vice-prefeito Antônio Neto e o ex-prefeito João Claudio, estão fechados com Roberto Pessoa. Isso sem falar no secretário de agricultura, Juliano Roriz, mais os vereadores Zé Ozanam e Edvan Nogueira, que apoiam Gorete Pereira.

Na oposição, o petista Júnior Coutinho defende José Guimarães; enquanto, o ex-prefeito Fernando Luz, apoia André Figueiredo e Raimundo Matos. O estadual de Fernando é Guilherme Landim.



[ Brasil ]

Depois da repercussão negativa do áudio atribuído ao presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, um dos seus filhos tratou de qualificar a gravação como “fake news”. Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro, saiu em defesa do pai em uma postagem nas redes sociais, na tarde desta quarta-feira, 19.

Na postagem no seu perfil no Twitter, Carlos Bolsonaro disse: “a mais nova fakenews com um áudio em que dizem ser Bolsonaro reclamando no hospital. O negócio é mais mal feito do que dizer que Socialismo e Liberdade andam juntos!”

Apesar da grande repercussão, não houve qualquer manifestação oficial da direção da campanha do presidenciável.



[ Brasil ]

A última pesquisa do Ibope que mostra a subida significativa do petista Fernando Haddad parece ter despertado a ira do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Apesar de aparecer na liderança do primeiro turno e empatado com a maioria dos seus opositores no segundo turno, Bolsonaro despeja sua insatisfação em converso com filho Eduardo.

Internado desde o atentado sofrido em Juiz de Fora (MG), Bolsonaro admite deixar o que chamou “teatrinho”. O presidenciável deixou claro sua revolta com a subida de Haddad, reclamou dos posicionamentos do seu vice, general Mourão, além de ofender e denigrir a enfermeira que o acompanha.

Palavrões e surtos de raiva são uma constante no áudio vasado nas redes sociais e atribuído ao presidenciável. As informações com transcrição do áudio estão publicadas no site Ceará News 7 (CN7.com.br).

Leia a transcrição do áudio

“Não aguento mais isso aqui. Tô uma semana nessa merda. Calma? O filho da puta do Mourão querendo me foder. Como é que eu vou ganhar essa eleição se eu tô aqui dentro? Me diz. Diz pra mim, Eduardo, como é que eu vou ganhar a eleição? Fala baixo é o caralho. O teatrinho acabou. Chega. Chega dessa merda. Tá com medo do que, da enfermeira me ouvir, aquela puta, vagabunda? Não aguento mais isso. Nem para tirar a injeção aquela puta sabe. A gente tem uma eleição para ganhar, e você me mantendo aqui nessa merda de teatro. Chega, preciso ir pra rua, pô. Não aguento mais essa merda, chega desse teatro. Eu quero sair daqui, vou pra cima daquele porra. Um filho da puta subindo pra caralho, e eu aqui preso? Eu vou pra cima daquele veado”.

Ouça 



[ Brasil ]

Mais uma pesquisa Ibope para a Presidência da República foi divulgada na noite dessa terça-feira, 18, durante o Jornal Nacional, da TV Globo. Primeira depois da oficialização de Fernando Haddad (PT) como substituto do ex-presidente Lula, a pesquisa aponta um crescimento de 11% do petista. Haddad subiu de 8% para 19%.

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, oscilou dentro da margem de erros e foi a 28%. Bolsonaro segue firme na liderança do corrida ao Planalto. O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, permaneceu com 11% e Geraldo Alckmin (PSDB) caiu dois pontos, passando de 9% para 7%. Marina Silva (Rede) foi de 9% para 6%.

No bloco aparecem empatados Álvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB), com 2%. Cabo Daciolo (Patriota) possui 1%. Guilherme Boulos (Psol), João Goulart Filho (PPL), Vera (PSTU) e Eymael (DC) não pontuaram na sondagem. Brancos e nulos somam 14% e 7% das pessoas não sabem em quem vão votar.

SEGUNDO TURNO. Na simulação de cenários para o segundo turno, Bolsonaro melhorou consideravelmente seu desempenho. Hoje ele ganharia de Marina Silva (41% a 36%) e empataria tecnicamente com os outros candidatos do primeiro bloco. A disputa mais acirrada acontece com Fernando Haddad, onde os dois estariam em 40% a 40%.

REJEIÇÃO. O Ibope pesquisou ainda a rejeição dos candidatos. Bolsonaro lidera com 42%, Haddad vem em seguida com 29%; seguido de Marina Silva com 26%, Alckmin com 20% e Ciro com 19%.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 177 cidades brasileiras nos dias 16, 17 e 18 de setembro. A margem de erros é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.