Mesmo depois de deixar a presidência da Câmara de Altaneira, a vereadora Lélia Sousa continua no foco. No dia 21, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou duas contratações temporárias autorizadas por Lélia em 2014. A então presidente da Mesa Diretora contratou as servidoras sem a existência de uma lei municipal que justificasse o ato.

Na denúncia encaminhada ao TCE, a única motivação da presidência da Casa na época foi a vontade de fazer uso da máquina pública para obter ganhos políticos. O resultado é que o TCE enviou ofício exigindo a imediata demissão das servidoras, caso ainda estejam ocupando as funções.

Caso o atual presidente da Câmara, vereador Antônio Leite, não proceda segundo a orientação, deverá sofrer as mesmas sanções. A ex-presidente pode apresentar defesa. Se for rejeitada, se tornará ficha suja.

Mesmo depois de deixar a presidência da Câmara de Altaneira, a vereadora Lélia Sousa continua no foco. No dia 21, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou duas contratações temporárias autorizadas por Lélia em 2014. A então presidente da Mesa Diretora contratou as servidoras sem a existência de uma lei municipal que justificasse o ato.

Na denúncia encaminhada ao TCE, a única motivação da presidência da Casa na época foi a vontade de fazer uso da máquina pública para obter ganhos políticos. O resultado é que o TCE enviou ofício exigindo a imediata demissão das servidoras, caso ainda estejam ocupando as funções.

Caso o atual presidente da Câmara, vereador Antônio Leite, não proceda segundo a orientação, deverá sofrer as mesmas sanções. A ex-presidente pode apresentar defesa. Se for rejeitada, se tornará ficha suja.

e-Política
MadsonVagner
Altaneira. Ex-presidenta da Câmara na mira do TCE

Mesmo depois de deixar a presidência da Câmara de Altaneira, a vereadora Lélia Sousa continua no foco. No dia 21, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou duas contratações temporárias autorizadas por Lélia em 2014. A então presidente da Mesa Diretora contratou as servidoras sem a existência de uma lei municipal que justificasse o ato.

Na denúncia encaminhada ao TCE, a única motivação da presidência da Casa na época foi a vontade de fazer uso da máquina pública para obter ganhos políticos. O resultado é que o TCE enviou ofício exigindo a imediata demissão das servidoras, caso ainda estejam ocupando as funções.

Caso o atual presidente da Câmara, vereador Antônio Leite, não proceda segundo a orientação, deverá sofrer as mesmas sanções. A ex-presidente pode apresentar defesa. Se for rejeitada, se tornará ficha suja.

29/05/2018 | Madson Vagner

Mesmo depois de deixar a presidência da Câmara de Altaneira, a vereadora Lélia Sousa continua no foco. No dia 21, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou duas contratações temporárias autorizadas por Lélia em 2014. A então presidente da Mesa Diretora contratou as servidoras sem a existência de uma lei municipal que justificasse o ato.

Na denúncia encaminhada ao TCE, a única motivação da presidência da Casa na época foi a vontade de fazer uso da máquina pública para obter ganhos políticos. O resultado é que o TCE enviou ofício exigindo a imediata demissão das servidoras, caso ainda estejam ocupando as funções.

Caso o atual presidente da Câmara, vereador Antônio Leite, não proceda segundo a orientação, deverá sofrer as mesmas sanções. A ex-presidente pode apresentar defesa. Se for rejeitada, se tornará ficha suja.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: