Se o candidato do PSDB ao Governo do Ceará, General Guilherme Theophilo, queria promover uma polêmica, conseguiu. Em entrevista na segunda-feira, 20, Theophilo afirmou que “não houve ditadura no Brasil”. Para o tucano, o País viveu, na verdade, um “contragolpe democrático” em 1964, que evitou a implantação do comunismo.

Na defesa dos seus colegas, o militar disse que, após evitarem a implantação da estrutura comunista, o poder deveria ter sido devolvido aos civis. “Tivemos erros? Tivemos! Os militares subiram à cabeça, alguns deles exacerbados, os atos institucionais… mas o Brasil precisava ainda de um regime de exceção, não é ditadura. O regime de exceção é um regime forte”, afirmou, deixando todos perplexos.

Se o candidato do PSDB ao Governo do Ceará, General Guilherme Theophilo, queria promover uma polêmica, conseguiu. Em entrevista na segunda-feira, 20, Theophilo afirmou que “não houve ditadura no Brasil”. Para o tucano, o País viveu, na verdade, um “contragolpe democrático” em 1964, que evitou a implantação do comunismo.

Na defesa dos seus colegas, o militar disse que, após evitarem a implantação da estrutura comunista, o poder deveria ter sido devolvido aos civis. “Tivemos erros? Tivemos! Os militares subiram à cabeça, alguns deles exacerbados, os atos institucionais… mas o Brasil precisava ainda de um regime de exceção, não é ditadura. O regime de exceção é um regime forte”, afirmou, deixando todos perplexos.

e-Política
MadsonVagner
Ceará. General Theophilo diz que não houve ditadura no Brasil

Se o candidato do PSDB ao Governo do Ceará, General Guilherme Theophilo, queria promover uma polêmica, conseguiu. Em entrevista na segunda-feira, 20, Theophilo afirmou que “não houve ditadura no Brasil”. Para o tucano, o País viveu, na verdade, um “contragolpe democrático” em 1964, que evitou a implantação do comunismo.

Na defesa dos seus colegas, o militar disse que, após evitarem a implantação da estrutura comunista, o poder deveria ter sido devolvido aos civis. “Tivemos erros? Tivemos! Os militares subiram à cabeça, alguns deles exacerbados, os atos institucionais… mas o Brasil precisava ainda de um regime de exceção, não é ditadura. O regime de exceção é um regime forte”, afirmou, deixando todos perplexos.

22/08/2018 | Madson Vagner

Se o candidato do PSDB ao Governo do Ceará, General Guilherme Theophilo, queria promover uma polêmica, conseguiu. Em entrevista na segunda-feira, 20, Theophilo afirmou que “não houve ditadura no Brasil”. Para o tucano, o País viveu, na verdade, um “contragolpe democrático” em 1964, que evitou a implantação do comunismo.

Na defesa dos seus colegas, o militar disse que, após evitarem a implantação da estrutura comunista, o poder deveria ter sido devolvido aos civis. “Tivemos erros? Tivemos! Os militares subiram à cabeça, alguns deles exacerbados, os atos institucionais… mas o Brasil precisava ainda de um regime de exceção, não é ditadura. O regime de exceção é um regime forte”, afirmou, deixando todos perplexos.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: