Cresce o assustadoramente o número de crimes por motivações políticas cometidos por eleitores do candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro (PSL). Somente nos últimos 10 dias, houve pelo menos 70 ataques de eleitores de Bolsonaro no país, segundo levantamento realizado pela agência Pública.

O levantamento mostra como as situações de violência se espalham pelo país inteiro. No último ataque registrado na segunda-feira, 08, uma jovem de menos de 20 anos de idade foi violentamente agredida por três eleitores de Bolsonaro em Porto Alegre, por andar com o adesivo #EleNão e as cores da bandeira LGBT em sua mochila. Os agressores socaram a garota e usaram um canivete para cravar o símbolo nazista (suástica), no corpo da jovem.

Entre os casos contabilizados pela reportagem da Pública, 14 aconteceram na região Sul, 32 na região Sudeste, 18 na região Nordeste, 3 na região Centro-Oeste e 3 na região Norte. Isso sem contar as milhares de ameaças nas redes sociais feitas diariamente.

Perguntado sobre a morte de um mestre de capoeira na Bahia, pelo Portal G1, nessa terça-feira, 09, Bolsonaro disse não ter controle sobre seus apoiadores. “O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam,” disse.

(Com informações dos sites Brasil 247 e G1).

Cresce o assustadoramente o número de crimes por motivações políticas cometidos por eleitores do candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro (PSL). Somente nos últimos 10 dias, houve pelo menos 70 ataques de eleitores de Bolsonaro no país, segundo levantamento realizado pela agência Pública.

O levantamento mostra como as situações de violência se espalham pelo país inteiro. No último ataque registrado na segunda-feira, 08, uma jovem de menos de 20 anos de idade foi violentamente agredida por três eleitores de Bolsonaro em Porto Alegre, por andar com o adesivo #EleNão e as cores da bandeira LGBT em sua mochila. Os agressores socaram a garota e usaram um canivete para cravar o símbolo nazista (suástica), no corpo da jovem.

Entre os casos contabilizados pela reportagem da Pública, 14 aconteceram na região Sul, 32 na região Sudeste, 18 na região Nordeste, 3 na região Centro-Oeste e 3 na região Norte. Isso sem contar as milhares de ameaças nas redes sociais feitas diariamente.

Perguntado sobre a morte de um mestre de capoeira na Bahia, pelo Portal G1, nessa terça-feira, 09, Bolsonaro disse não ter controle sobre seus apoiadores. “O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam,” disse.

(Com informações dos sites Brasil 247 e G1).

e-Política
MadsonVagner
Com agressões e morte, eleitores de Bolsonaro espalham o terror pelo país

Cresce o assustadoramente o número de crimes por motivações políticas cometidos por eleitores do candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro (PSL). Somente nos últimos 10 dias, houve pelo menos 70 ataques de eleitores de Bolsonaro no país, segundo levantamento realizado pela agência Pública.

O levantamento mostra como as situações de violência se espalham pelo país inteiro. No último ataque registrado na segunda-feira, 08, uma jovem de menos de 20 anos de idade foi violentamente agredida por três eleitores de Bolsonaro em Porto Alegre, por andar com o adesivo #EleNão e as cores da bandeira LGBT em sua mochila. Os agressores socaram a garota e usaram um canivete para cravar o símbolo nazista (suástica), no corpo da jovem.

Entre os casos contabilizados pela reportagem da Pública, 14 aconteceram na região Sul, 32 na região Sudeste, 18 na região Nordeste, 3 na região Centro-Oeste e 3 na região Norte. Isso sem contar as milhares de ameaças nas redes sociais feitas diariamente.

Perguntado sobre a morte de um mestre de capoeira na Bahia, pelo Portal G1, nessa terça-feira, 09, Bolsonaro disse não ter controle sobre seus apoiadores. “O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam,” disse.

(Com informações dos sites Brasil 247 e G1).

11/10/2018 | Madson Vagner

Cresce o assustadoramente o número de crimes por motivações políticas cometidos por eleitores do candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro (PSL). Somente nos últimos 10 dias, houve pelo menos 70 ataques de eleitores de Bolsonaro no país, segundo levantamento realizado pela agência Pública.

O levantamento mostra como as situações de violência se espalham pelo país inteiro. No último ataque registrado na segunda-feira, 08, uma jovem de menos de 20 anos de idade foi violentamente agredida por três eleitores de Bolsonaro em Porto Alegre, por andar com o adesivo #EleNão e as cores da bandeira LGBT em sua mochila. Os agressores socaram a garota e usaram um canivete para cravar o símbolo nazista (suástica), no corpo da jovem.

Entre os casos contabilizados pela reportagem da Pública, 14 aconteceram na região Sul, 32 na região Sudeste, 18 na região Nordeste, 3 na região Centro-Oeste e 3 na região Norte. Isso sem contar as milhares de ameaças nas redes sociais feitas diariamente.

Perguntado sobre a morte de um mestre de capoeira na Bahia, pelo Portal G1, nessa terça-feira, 09, Bolsonaro disse não ter controle sobre seus apoiadores. “O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam,” disse.

(Com informações dos sites Brasil 247 e G1).

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: