A poucos dias de completar 60 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), tem apenas 39% de aprovação popular. A pesquisa é da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e foi divulgada na terça-feira, 26. Segundo a pesquisa, apenas 11% consideraram o governo ótimo. Outros 28% disseram que o governo é bom e 19% avaliaram como ruim ou péssimo.

Em comparação com últimos três governos, Bolsonaro só ganha de Michel Temer (MDB), que assumiu o governo com 11% de aprovação. No mesmo período, nos seus respectivos governos, Lula chegou a 57% de aprovação e Dilma teve 49%. Bolsonaro foi eleito em 2º turno com mais 55% dos votos válidos.

O desempenho pode estar ligado a ações propostas pelo governo como a Reforma da Previdência, além de recentes crises como a que envolveu o filho, Flávio Bolsonaro, e o ex-ministro Gustavo Bebianno. Sobre a reforma 46% desaprovaram o modelo proposto. Já com relação a Bebianno 55% avaliaram como culpado.

A pesquisa ouviu 2002 pessoas em 137 municípios de todo o país. A pesquisa, realizada entre os dias 21 e 23 deste mês, tem margem de erros de 2,2% e confiança de 95%.

A poucos dias de completar 60 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), tem apenas 39% de aprovação popular. A pesquisa é da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e foi divulgada na terça-feira, 26. Segundo a pesquisa, apenas 11% consideraram o governo ótimo. Outros 28% disseram que o governo é bom e 19% avaliaram como ruim ou péssimo.

Em comparação com últimos três governos, Bolsonaro só ganha de Michel Temer (MDB), que assumiu o governo com 11% de aprovação. No mesmo período, nos seus respectivos governos, Lula chegou a 57% de aprovação e Dilma teve 49%. Bolsonaro foi eleito em 2º turno com mais 55% dos votos válidos.

O desempenho pode estar ligado a ações propostas pelo governo como a Reforma da Previdência, além de recentes crises como a que envolveu o filho, Flávio Bolsonaro, e o ex-ministro Gustavo Bebianno. Sobre a reforma 46% desaprovaram o modelo proposto. Já com relação a Bebianno 55% avaliaram como culpado.

A pesquisa ouviu 2002 pessoas em 137 municípios de todo o país. A pesquisa, realizada entre os dias 21 e 23 deste mês, tem margem de erros de 2,2% e confiança de 95%.

e-Política
MadsonVagner
Desempenho fraco. Bolsonaro é aprovado por 39% da população

A poucos dias de completar 60 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), tem apenas 39% de aprovação popular. A pesquisa é da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e foi divulgada na terça-feira, 26. Segundo a pesquisa, apenas 11% consideraram o governo ótimo. Outros 28% disseram que o governo é bom e 19% avaliaram como ruim ou péssimo.

Em comparação com últimos três governos, Bolsonaro só ganha de Michel Temer (MDB), que assumiu o governo com 11% de aprovação. No mesmo período, nos seus respectivos governos, Lula chegou a 57% de aprovação e Dilma teve 49%. Bolsonaro foi eleito em 2º turno com mais 55% dos votos válidos.

O desempenho pode estar ligado a ações propostas pelo governo como a Reforma da Previdência, além de recentes crises como a que envolveu o filho, Flávio Bolsonaro, e o ex-ministro Gustavo Bebianno. Sobre a reforma 46% desaprovaram o modelo proposto. Já com relação a Bebianno 55% avaliaram como culpado.

A pesquisa ouviu 2002 pessoas em 137 municípios de todo o país. A pesquisa, realizada entre os dias 21 e 23 deste mês, tem margem de erros de 2,2% e confiança de 95%.

27/02/2019 | Madson Vagner

A poucos dias de completar 60 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), tem apenas 39% de aprovação popular. A pesquisa é da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e foi divulgada na terça-feira, 26. Segundo a pesquisa, apenas 11% consideraram o governo ótimo. Outros 28% disseram que o governo é bom e 19% avaliaram como ruim ou péssimo.

Em comparação com últimos três governos, Bolsonaro só ganha de Michel Temer (MDB), que assumiu o governo com 11% de aprovação. No mesmo período, nos seus respectivos governos, Lula chegou a 57% de aprovação e Dilma teve 49%. Bolsonaro foi eleito em 2º turno com mais 55% dos votos válidos.

O desempenho pode estar ligado a ações propostas pelo governo como a Reforma da Previdência, além de recentes crises como a que envolveu o filho, Flávio Bolsonaro, e o ex-ministro Gustavo Bebianno. Sobre a reforma 46% desaprovaram o modelo proposto. Já com relação a Bebianno 55% avaliaram como culpado.

A pesquisa ouviu 2002 pessoas em 137 municípios de todo o país. A pesquisa, realizada entre os dias 21 e 23 deste mês, tem margem de erros de 2,2% e confiança de 95%.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: