Cobrado nas ruas e por sua base política, com relação aos apoios para a eleição deste ano, o prefeito de Aurora, Júnior Macedo (PR), vai continuar sem resposta. Seu apoio ao candidato à Assembleia se transformou em pesadelo e à Câmara Federal continua uma incógnita.

A queda da pré-candidatura de Raimundo Macedo, seu nome a estadual, aumentou a crise de identidade da gestão. Às vésperas do pleito, Júnior está sem candidato a estadual e federal. Pode faltar tempo para correr atrás dos votos e o resultado se transformar em um desastre político. Ou pior, pode parecer que seu apoio não soma.

Para deixar o cenário mais tenso, o ex-prefeito Carlos Macedo (PPL), seu principal adversário, se lançou à Câmara Federal e começa a ganhar terreno. Enquanto isso, Júnior espera pelas posições do senador Eunício Oliveira, que deve indicar o federal, e de Raimundão, se vai ou não. Enquanto isso, a pressão continua.

Cobrado nas ruas e por sua base política, com relação aos apoios para a eleição deste ano, o prefeito de Aurora, Júnior Macedo (PR), vai continuar sem resposta. Seu apoio ao candidato à Assembleia se transformou em pesadelo e à Câmara Federal continua uma incógnita.

A queda da pré-candidatura de Raimundo Macedo, seu nome a estadual, aumentou a crise de identidade da gestão. Às vésperas do pleito, Júnior está sem candidato a estadual e federal. Pode faltar tempo para correr atrás dos votos e o resultado se transformar em um desastre político. Ou pior, pode parecer que seu apoio não soma.

Para deixar o cenário mais tenso, o ex-prefeito Carlos Macedo (PPL), seu principal adversário, se lançou à Câmara Federal e começa a ganhar terreno. Enquanto isso, Júnior espera pelas posições do senador Eunício Oliveira, que deve indicar o federal, e de Raimundão, se vai ou não. Enquanto isso, a pressão continua.

e-Política
MadsonVagner
Eleições. Prefeito de Aurora continua sem saber o que fazer

Cobrado nas ruas e por sua base política, com relação aos apoios para a eleição deste ano, o prefeito de Aurora, Júnior Macedo (PR), vai continuar sem resposta. Seu apoio ao candidato à Assembleia se transformou em pesadelo e à Câmara Federal continua uma incógnita.

A queda da pré-candidatura de Raimundo Macedo, seu nome a estadual, aumentou a crise de identidade da gestão. Às vésperas do pleito, Júnior está sem candidato a estadual e federal. Pode faltar tempo para correr atrás dos votos e o resultado se transformar em um desastre político. Ou pior, pode parecer que seu apoio não soma.

Para deixar o cenário mais tenso, o ex-prefeito Carlos Macedo (PPL), seu principal adversário, se lançou à Câmara Federal e começa a ganhar terreno. Enquanto isso, Júnior espera pelas posições do senador Eunício Oliveira, que deve indicar o federal, e de Raimundão, se vai ou não. Enquanto isso, a pressão continua.

31/07/2018 | Madson Vagner

Cobrado nas ruas e por sua base política, com relação aos apoios para a eleição deste ano, o prefeito de Aurora, Júnior Macedo (PR), vai continuar sem resposta. Seu apoio ao candidato à Assembleia se transformou em pesadelo e à Câmara Federal continua uma incógnita.

A queda da pré-candidatura de Raimundo Macedo, seu nome a estadual, aumentou a crise de identidade da gestão. Às vésperas do pleito, Júnior está sem candidato a estadual e federal. Pode faltar tempo para correr atrás dos votos e o resultado se transformar em um desastre político. Ou pior, pode parecer que seu apoio não soma.

Para deixar o cenário mais tenso, o ex-prefeito Carlos Macedo (PPL), seu principal adversário, se lançou à Câmara Federal e começa a ganhar terreno. Enquanto isso, Júnior espera pelas posições do senador Eunício Oliveira, que deve indicar o federal, e de Raimundão, se vai ou não. Enquanto isso, a pressão continua.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: