A sessão da Câmara de Milagres, nesta segunda-feira, 07, foi marcada por discussões acaloradas e humilhações à professores da rede municipal. Orientados pelo prefeito Lielson Landim (PDT), os vereadores Giancles, Ozório, Beto Mitrato, Lorim, Ivan e Geraldo Neto, aprovaram reajuste de 3% para a categoria.

A decisão causou revolta nos professores presentes, e houve um princípio de discussão entre professores e vereadores. Os professores cobravam compromisso dos vereadores com os trabalhadores, quando foram surpreendidos pela truculência do vereador Geraldo Neto.

O vereador é acusado, em vídeo gravado pelas professoras, de intimidar o grupo a ponto de terem que recuar temendo agressão física. Os professores reivindicam a manutenção do reajuste proposto pelo Piso Nacional do Magistério, estabelecido em 6,81%.

Sabendo da articulação para a aprovação do projeto, um movimento foi iniciado, ainda no sábado, dia 05, quando dezenas de professores foram ás ruas para reivindicar a manutenção do Piso. Segundo relatos, durante as manifestações de sábado e a revolta desta segunda, os professores pediram apenas respeito por parte do prefeito Lielson.

A expectativa é que a direção do Sindicato dos Servidores do Município leve ambos os casos à justiça, pedindo o impedimento do vereador por abuso de poder e tentativa de agressão.

A sessão da Câmara de Milagres, nesta segunda-feira, 07, foi marcada por discussões acaloradas e humilhações à professores da rede municipal. Orientados pelo prefeito Lielson Landim (PDT), os vereadores Giancles, Ozório, Beto Mitrato, Lorim, Ivan e Geraldo Neto, aprovaram reajuste de 3% para a categoria.

A decisão causou revolta nos professores presentes, e houve um princípio de discussão entre professores e vereadores. Os professores cobravam compromisso dos vereadores com os trabalhadores, quando foram surpreendidos pela truculência do vereador Geraldo Neto.

O vereador é acusado, em vídeo gravado pelas professoras, de intimidar o grupo a ponto de terem que recuar temendo agressão física. Os professores reivindicam a manutenção do reajuste proposto pelo Piso Nacional do Magistério, estabelecido em 6,81%.

Sabendo da articulação para a aprovação do projeto, um movimento foi iniciado, ainda no sábado, dia 05, quando dezenas de professores foram ás ruas para reivindicar a manutenção do Piso. Segundo relatos, durante as manifestações de sábado e a revolta desta segunda, os professores pediram apenas respeito por parte do prefeito Lielson.

A expectativa é que a direção do Sindicato dos Servidores do Município leve ambos os casos à justiça, pedindo o impedimento do vereador por abuso de poder e tentativa de agressão.

e-Política
MadsonVagner
Em Milagres, Câmara aprova aumento de 3% para professores e vereador humilha servidoras

A sessão da Câmara de Milagres, nesta segunda-feira, 07, foi marcada por discussões acaloradas e humilhações à professores da rede municipal. Orientados pelo prefeito Lielson Landim (PDT), os vereadores Giancles, Ozório, Beto Mitrato, Lorim, Ivan e Geraldo Neto, aprovaram reajuste de 3% para a categoria.

A decisão causou revolta nos professores presentes, e houve um princípio de discussão entre professores e vereadores. Os professores cobravam compromisso dos vereadores com os trabalhadores, quando foram surpreendidos pela truculência do vereador Geraldo Neto.

O vereador é acusado, em vídeo gravado pelas professoras, de intimidar o grupo a ponto de terem que recuar temendo agressão física. Os professores reivindicam a manutenção do reajuste proposto pelo Piso Nacional do Magistério, estabelecido em 6,81%.

Sabendo da articulação para a aprovação do projeto, um movimento foi iniciado, ainda no sábado, dia 05, quando dezenas de professores foram ás ruas para reivindicar a manutenção do Piso. Segundo relatos, durante as manifestações de sábado e a revolta desta segunda, os professores pediram apenas respeito por parte do prefeito Lielson.

A expectativa é que a direção do Sindicato dos Servidores do Município leve ambos os casos à justiça, pedindo o impedimento do vereador por abuso de poder e tentativa de agressão.

08/05/2018 | Madson Vagner

A sessão da Câmara de Milagres, nesta segunda-feira, 07, foi marcada por discussões acaloradas e humilhações à professores da rede municipal. Orientados pelo prefeito Lielson Landim (PDT), os vereadores Giancles, Ozório, Beto Mitrato, Lorim, Ivan e Geraldo Neto, aprovaram reajuste de 3% para a categoria.

A decisão causou revolta nos professores presentes, e houve um princípio de discussão entre professores e vereadores. Os professores cobravam compromisso dos vereadores com os trabalhadores, quando foram surpreendidos pela truculência do vereador Geraldo Neto.

O vereador é acusado, em vídeo gravado pelas professoras, de intimidar o grupo a ponto de terem que recuar temendo agressão física. Os professores reivindicam a manutenção do reajuste proposto pelo Piso Nacional do Magistério, estabelecido em 6,81%.

Sabendo da articulação para a aprovação do projeto, um movimento foi iniciado, ainda no sábado, dia 05, quando dezenas de professores foram ás ruas para reivindicar a manutenção do Piso. Segundo relatos, durante as manifestações de sábado e a revolta desta segunda, os professores pediram apenas respeito por parte do prefeito Lielson.

A expectativa é que a direção do Sindicato dos Servidores do Município leve ambos os casos à justiça, pedindo o impedimento do vereador por abuso de poder e tentativa de agressão.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: