As principais forças políticas de Iguatu parecem estar em baixa nestas eleições. O ex-prefeito e deputado estadual Agenor Neto (MDB) encontra dificuldades para sua reeleição à Assembleia, mas vê seu principal adversário, o ex-deputado Marcelo Sobreira, também, com dificuldades na campanha do filho, Marcos Sobreira (PDT).

Apesar de estar sob a influência do mandato da mãe, a deputada Mirian Sobreira, Marcos tem apenas as prefeituras de Iguatu e Cariús. No mesmo ritmo, Agenor conta apenas com as prefeituras de Jucás e Solonópole. Como os adversários, Agenor espera que grupos menores em outros municípios façam a diferença. Os dois grupos estão na base do governador Camilo Santana, que não interfere na disputa.

Desgaste político

Ainda em Iguatu, o líder Marcelo Sobreira, enfrenta desgaste como secretário de Saúde do município. Ele é acusado pelo Sindicato dos Servidores do Município de assédio moral, perseguição política e transferências arbitrarias. O Sindicato garante que as denúncias se acumulam e devem ser levadas ao Ministério Público.

Apesar das graves denúncias feitas pelo Sindicato, o secretário Marcelo Sobreira está longe de ser afastado do cargo. O grupo liderado por ele foi o responsável pela eleição do prefeito Ednaldo Lavor (PDT) que, sequer, se pronunciou sobre as denúncias. Na cidade é consenso que o prefeito deve satisfação a Marcelo, não o contrário.

As principais forças políticas de Iguatu parecem estar em baixa nestas eleições. O ex-prefeito e deputado estadual Agenor Neto (MDB) encontra dificuldades para sua reeleição à Assembleia, mas vê seu principal adversário, o ex-deputado Marcelo Sobreira, também, com dificuldades na campanha do filho, Marcos Sobreira (PDT).

Apesar de estar sob a influência do mandato da mãe, a deputada Mirian Sobreira, Marcos tem apenas as prefeituras de Iguatu e Cariús. No mesmo ritmo, Agenor conta apenas com as prefeituras de Jucás e Solonópole. Como os adversários, Agenor espera que grupos menores em outros municípios façam a diferença. Os dois grupos estão na base do governador Camilo Santana, que não interfere na disputa.

Desgaste político

Ainda em Iguatu, o líder Marcelo Sobreira, enfrenta desgaste como secretário de Saúde do município. Ele é acusado pelo Sindicato dos Servidores do Município de assédio moral, perseguição política e transferências arbitrarias. O Sindicato garante que as denúncias se acumulam e devem ser levadas ao Ministério Público.

Apesar das graves denúncias feitas pelo Sindicato, o secretário Marcelo Sobreira está longe de ser afastado do cargo. O grupo liderado por ele foi o responsável pela eleição do prefeito Ednaldo Lavor (PDT) que, sequer, se pronunciou sobre as denúncias. Na cidade é consenso que o prefeito deve satisfação a Marcelo, não o contrário.

e-Política
MadsonVagner
Forças políticas de Iguatu em baixa

As principais forças políticas de Iguatu parecem estar em baixa nestas eleições. O ex-prefeito e deputado estadual Agenor Neto (MDB) encontra dificuldades para sua reeleição à Assembleia, mas vê seu principal adversário, o ex-deputado Marcelo Sobreira, também, com dificuldades na campanha do filho, Marcos Sobreira (PDT).

Apesar de estar sob a influência do mandato da mãe, a deputada Mirian Sobreira, Marcos tem apenas as prefeituras de Iguatu e Cariús. No mesmo ritmo, Agenor conta apenas com as prefeituras de Jucás e Solonópole. Como os adversários, Agenor espera que grupos menores em outros municípios façam a diferença. Os dois grupos estão na base do governador Camilo Santana, que não interfere na disputa.

Desgaste político

Ainda em Iguatu, o líder Marcelo Sobreira, enfrenta desgaste como secretário de Saúde do município. Ele é acusado pelo Sindicato dos Servidores do Município de assédio moral, perseguição política e transferências arbitrarias. O Sindicato garante que as denúncias se acumulam e devem ser levadas ao Ministério Público.

Apesar das graves denúncias feitas pelo Sindicato, o secretário Marcelo Sobreira está longe de ser afastado do cargo. O grupo liderado por ele foi o responsável pela eleição do prefeito Ednaldo Lavor (PDT) que, sequer, se pronunciou sobre as denúncias. Na cidade é consenso que o prefeito deve satisfação a Marcelo, não o contrário.

29/08/2018 | Madson Vagner

As principais forças políticas de Iguatu parecem estar em baixa nestas eleições. O ex-prefeito e deputado estadual Agenor Neto (MDB) encontra dificuldades para sua reeleição à Assembleia, mas vê seu principal adversário, o ex-deputado Marcelo Sobreira, também, com dificuldades na campanha do filho, Marcos Sobreira (PDT).

Apesar de estar sob a influência do mandato da mãe, a deputada Mirian Sobreira, Marcos tem apenas as prefeituras de Iguatu e Cariús. No mesmo ritmo, Agenor conta apenas com as prefeituras de Jucás e Solonópole. Como os adversários, Agenor espera que grupos menores em outros municípios façam a diferença. Os dois grupos estão na base do governador Camilo Santana, que não interfere na disputa.

Desgaste político

Ainda em Iguatu, o líder Marcelo Sobreira, enfrenta desgaste como secretário de Saúde do município. Ele é acusado pelo Sindicato dos Servidores do Município de assédio moral, perseguição política e transferências arbitrarias. O Sindicato garante que as denúncias se acumulam e devem ser levadas ao Ministério Público.

Apesar das graves denúncias feitas pelo Sindicato, o secretário Marcelo Sobreira está longe de ser afastado do cargo. O grupo liderado por ele foi o responsável pela eleição do prefeito Ednaldo Lavor (PDT) que, sequer, se pronunciou sobre as denúncias. Na cidade é consenso que o prefeito deve satisfação a Marcelo, não o contrário.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: