A eleição presidencial no Brasil começa a ganhar repercussão internacional e incomodar setores da economia mundial. A prestigiada revista inglesa The Economist, desta semana, traz na sua capa uma matéria sobre a corrida a presidencial no Brasil, mais precisamente sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

A revista, considerada o mais influente veículo do pensamento liberal no mundo, publicou editorial com pesadas críticas ao presidenciável brasileiro. A matéria avalia Bolsonaro como uma ameaça eminente ao Brasil e a América Latina. Diz a manchete: “Jair Bolsonaro, a mais recente ameaça na América Latina”.

A manchete de capa é complementada com a avaliação: “Ele pode ser um presidente desastroso”. A publicação compara Bolsonaro ao presidente americano Donald Trump e afirma: “se a vitória for para Bolsonaro, um populista de direita, o Brasil corre o risco de tornar tudo pior”.

A eleição presidencial no Brasil começa a ganhar repercussão internacional e incomodar setores da economia mundial. A prestigiada revista inglesa The Economist, desta semana, traz na sua capa uma matéria sobre a corrida a presidencial no Brasil, mais precisamente sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

A revista, considerada o mais influente veículo do pensamento liberal no mundo, publicou editorial com pesadas críticas ao presidenciável brasileiro. A matéria avalia Bolsonaro como uma ameaça eminente ao Brasil e a América Latina. Diz a manchete: “Jair Bolsonaro, a mais recente ameaça na América Latina”.

A manchete de capa é complementada com a avaliação: “Ele pode ser um presidente desastroso”. A publicação compara Bolsonaro ao presidente americano Donald Trump e afirma: “se a vitória for para Bolsonaro, um populista de direita, o Brasil corre o risco de tornar tudo pior”.

e-Política
MadsonVagner
Revista ‘The Economist’ considera Bolsonaro uma ameaça a América Latina

A eleição presidencial no Brasil começa a ganhar repercussão internacional e incomodar setores da economia mundial. A prestigiada revista inglesa The Economist, desta semana, traz na sua capa uma matéria sobre a corrida a presidencial no Brasil, mais precisamente sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

A revista, considerada o mais influente veículo do pensamento liberal no mundo, publicou editorial com pesadas críticas ao presidenciável brasileiro. A matéria avalia Bolsonaro como uma ameaça eminente ao Brasil e a América Latina. Diz a manchete: “Jair Bolsonaro, a mais recente ameaça na América Latina”.

A manchete de capa é complementada com a avaliação: “Ele pode ser um presidente desastroso”. A publicação compara Bolsonaro ao presidente americano Donald Trump e afirma: “se a vitória for para Bolsonaro, um populista de direita, o Brasil corre o risco de tornar tudo pior”.

21/09/2018 | Madson Vagner

A eleição presidencial no Brasil começa a ganhar repercussão internacional e incomodar setores da economia mundial. A prestigiada revista inglesa The Economist, desta semana, traz na sua capa uma matéria sobre a corrida a presidencial no Brasil, mais precisamente sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

A revista, considerada o mais influente veículo do pensamento liberal no mundo, publicou editorial com pesadas críticas ao presidenciável brasileiro. A matéria avalia Bolsonaro como uma ameaça eminente ao Brasil e a América Latina. Diz a manchete: “Jair Bolsonaro, a mais recente ameaça na América Latina”.

A manchete de capa é complementada com a avaliação: “Ele pode ser um presidente desastroso”. A publicação compara Bolsonaro ao presidente americano Donald Trump e afirma: “se a vitória for para Bolsonaro, um populista de direita, o Brasil corre o risco de tornar tudo pior”.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: