Os presidenciáveis Lula, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin, ainda não têm garantia de registro das candidaturas. Os três enfrentam pedidos de impugnação das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os processos devem ir ao Plenário para análise e julgamento.

Lula enfrenta quatro pedidos de impugnação, sendo a maioria com base na Lei da Ficha Limpa, por lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Sobre o caso, Lula foi condenado em primeira e segunda instância e permanece preso em Curitiba.

Bolsonaro é réu em processo de fazer apologia ao estupro e injúria. O caso está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Alckmin é acusado de não formalizar o acordo com o centrão nas Atas das convenções. Apesar de apenas um pedido de impugnação, há um temor por ter ferido uma legislação eleitoral.

Além do pedido de impugnação, Lula e Alckmin têm outras dores de cabeça. Lula enfrenta uma queda de braço com a justiça sobre a decisão da prisão em segunda instância, permanece preso sem poder fazer campanha.

Já Alckmin sofre ameaças de abandono na sua campanha. O baixo desempenho nas pesquisas, motivam a desconfiança de líderes do centrão. Alguns ameaçam deixar a campanha em breve, caso a candidatura não decole. Alckmin demitiu seu marqueteiro de redes sociais para tentar resolver o problema.

Os presidenciáveis Lula, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin, ainda não têm garantia de registro das candidaturas. Os três enfrentam pedidos de impugnação das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os processos devem ir ao Plenário para análise e julgamento.

Lula enfrenta quatro pedidos de impugnação, sendo a maioria com base na Lei da Ficha Limpa, por lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Sobre o caso, Lula foi condenado em primeira e segunda instância e permanece preso em Curitiba.

Bolsonaro é réu em processo de fazer apologia ao estupro e injúria. O caso está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Alckmin é acusado de não formalizar o acordo com o centrão nas Atas das convenções. Apesar de apenas um pedido de impugnação, há um temor por ter ferido uma legislação eleitoral.

Além do pedido de impugnação, Lula e Alckmin têm outras dores de cabeça. Lula enfrenta uma queda de braço com a justiça sobre a decisão da prisão em segunda instância, permanece preso sem poder fazer campanha.

Já Alckmin sofre ameaças de abandono na sua campanha. O baixo desempenho nas pesquisas, motivam a desconfiança de líderes do centrão. Alguns ameaçam deixar a campanha em breve, caso a candidatura não decole. Alckmin demitiu seu marqueteiro de redes sociais para tentar resolver o problema.

e-Política
MadsonVagner
Lula, Bolsonaro e Alckmin podem ser impugnados

Os presidenciáveis Lula, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin, ainda não têm garantia de registro das candidaturas. Os três enfrentam pedidos de impugnação das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os processos devem ir ao Plenário para análise e julgamento.

Lula enfrenta quatro pedidos de impugnação, sendo a maioria com base na Lei da Ficha Limpa, por lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Sobre o caso, Lula foi condenado em primeira e segunda instância e permanece preso em Curitiba.

Bolsonaro é réu em processo de fazer apologia ao estupro e injúria. O caso está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Alckmin é acusado de não formalizar o acordo com o centrão nas Atas das convenções. Apesar de apenas um pedido de impugnação, há um temor por ter ferido uma legislação eleitoral.

Além do pedido de impugnação, Lula e Alckmin têm outras dores de cabeça. Lula enfrenta uma queda de braço com a justiça sobre a decisão da prisão em segunda instância, permanece preso sem poder fazer campanha.

Já Alckmin sofre ameaças de abandono na sua campanha. O baixo desempenho nas pesquisas, motivam a desconfiança de líderes do centrão. Alguns ameaçam deixar a campanha em breve, caso a candidatura não decole. Alckmin demitiu seu marqueteiro de redes sociais para tentar resolver o problema.

24/08/2018 | Madson Vagner

Os presidenciáveis Lula, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin, ainda não têm garantia de registro das candidaturas. Os três enfrentam pedidos de impugnação das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os processos devem ir ao Plenário para análise e julgamento.

Lula enfrenta quatro pedidos de impugnação, sendo a maioria com base na Lei da Ficha Limpa, por lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Sobre o caso, Lula foi condenado em primeira e segunda instância e permanece preso em Curitiba.

Bolsonaro é réu em processo de fazer apologia ao estupro e injúria. O caso está sob análise do Supremo Tribunal Federal (STF). Alckmin é acusado de não formalizar o acordo com o centrão nas Atas das convenções. Apesar de apenas um pedido de impugnação, há um temor por ter ferido uma legislação eleitoral.

Além do pedido de impugnação, Lula e Alckmin têm outras dores de cabeça. Lula enfrenta uma queda de braço com a justiça sobre a decisão da prisão em segunda instância, permanece preso sem poder fazer campanha.

Já Alckmin sofre ameaças de abandono na sua campanha. O baixo desempenho nas pesquisas, motivam a desconfiança de líderes do centrão. Alguns ameaçam deixar a campanha em breve, caso a candidatura não decole. Alckmin demitiu seu marqueteiro de redes sociais para tentar resolver o problema.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: