O vice-presidente eleito, general Mourão, surpreendeu em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, quando demonstrou discordar da política estabelecida pelo governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Na entrevista, publicada nesta sexta-feira, 23, Mourão se mostrou mais sensato ao negar a mudança da embaixada brasileira de Israel para Jerusalém e descartou qualquer risco de ataque à Venezuela.

Sobre a economia, Mourão diz que não há hipótese de o Brasil se afastar da China e do Mercosul. A entrevista vai na contramão do que vêm defendendo o super ministro Paulo Guedes e Bolsonaro. Na entrevista, sobrou até para o chanceler Ernesto Araújo: “não resta dúvida de que existe um aquecimento global. Não acho que seja uma trama marxista,” disse Mourão.

O vice-presidente eleito, general Mourão, surpreendeu em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, quando demonstrou discordar da política estabelecida pelo governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Na entrevista, publicada nesta sexta-feira, 23, Mourão se mostrou mais sensato ao negar a mudança da embaixada brasileira de Israel para Jerusalém e descartou qualquer risco de ataque à Venezuela.

Sobre a economia, Mourão diz que não há hipótese de o Brasil se afastar da China e do Mercosul. A entrevista vai na contramão do que vêm defendendo o super ministro Paulo Guedes e Bolsonaro. Na entrevista, sobrou até para o chanceler Ernesto Araújo: “não resta dúvida de que existe um aquecimento global. Não acho que seja uma trama marxista,” disse Mourão.

e-Política
MadsonVagner
Mourão na contramão de Bolsonaro e Paulo Guedes

O vice-presidente eleito, general Mourão, surpreendeu em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, quando demonstrou discordar da política estabelecida pelo governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Na entrevista, publicada nesta sexta-feira, 23, Mourão se mostrou mais sensato ao negar a mudança da embaixada brasileira de Israel para Jerusalém e descartou qualquer risco de ataque à Venezuela.

Sobre a economia, Mourão diz que não há hipótese de o Brasil se afastar da China e do Mercosul. A entrevista vai na contramão do que vêm defendendo o super ministro Paulo Guedes e Bolsonaro. Na entrevista, sobrou até para o chanceler Ernesto Araújo: “não resta dúvida de que existe um aquecimento global. Não acho que seja uma trama marxista,” disse Mourão.

23/11/2018 | Madson Vagner

O vice-presidente eleito, general Mourão, surpreendeu em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, quando demonstrou discordar da política estabelecida pelo governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Na entrevista, publicada nesta sexta-feira, 23, Mourão se mostrou mais sensato ao negar a mudança da embaixada brasileira de Israel para Jerusalém e descartou qualquer risco de ataque à Venezuela.

Sobre a economia, Mourão diz que não há hipótese de o Brasil se afastar da China e do Mercosul. A entrevista vai na contramão do que vêm defendendo o super ministro Paulo Guedes e Bolsonaro. Na entrevista, sobrou até para o chanceler Ernesto Araújo: “não resta dúvida de que existe um aquecimento global. Não acho que seja uma trama marxista,” disse Mourão.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: