Nem começou o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro e ele já está envolto em escândalos. Apesar de que o presidente eleito parece estar disposto a pagar pra ver. O caso se refere a identificação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta bancária do ex-motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito.

Depois do destaque sobre o assunto em matéria do jornal O Estado de S. Paulo, nesse domingo, quando voltava da praia, Bolsonaro foi perguntado sobre o caso e disse que o ex-motorista, Fabrício Queiroz, é quem deverá dar as explicações sobre os depósitos que foram feitos em sua conta.

O Coaf indicou que a conta do ex-motorista recebeu diversos depósitos incompatíveis, a princípio, com sua renda. Um cheque de R$ 24 mil chegou a ser emitido por Queiroz para Michelle Bolsonaro, mulher de Bolsonaro e futura primeira-dama.

O problema é que em época de delação, não dá arriscar tudo nas explicações de um ex-motorista. É verdade que, a princípio, o ex-motorista não deve nada a justiça, portanto, não teria porque fazer uma delação. Como sempre, Bolsonaro encontra respostas fáceis para problemas difíceis.

Nem começou o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro e ele já está envolto em escândalos. Apesar de que o presidente eleito parece estar disposto a pagar pra ver. O caso se refere a identificação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta bancária do ex-motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito.

Depois do destaque sobre o assunto em matéria do jornal O Estado de S. Paulo, nesse domingo, quando voltava da praia, Bolsonaro foi perguntado sobre o caso e disse que o ex-motorista, Fabrício Queiroz, é quem deverá dar as explicações sobre os depósitos que foram feitos em sua conta.

O Coaf indicou que a conta do ex-motorista recebeu diversos depósitos incompatíveis, a princípio, com sua renda. Um cheque de R$ 24 mil chegou a ser emitido por Queiroz para Michelle Bolsonaro, mulher de Bolsonaro e futura primeira-dama.

O problema é que em época de delação, não dá arriscar tudo nas explicações de um ex-motorista. É verdade que, a princípio, o ex-motorista não deve nada a justiça, portanto, não teria porque fazer uma delação. Como sempre, Bolsonaro encontra respostas fáceis para problemas difíceis.

e-Política
MadsonVagner
R$ 1,2 milhão na conta de ex-motorista do filho, Bolsonaro ‘vai pagar pra ver’

Nem começou o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro e ele já está envolto em escândalos. Apesar de que o presidente eleito parece estar disposto a pagar pra ver. O caso se refere a identificação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta bancária do ex-motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito.

Depois do destaque sobre o assunto em matéria do jornal O Estado de S. Paulo, nesse domingo, quando voltava da praia, Bolsonaro foi perguntado sobre o caso e disse que o ex-motorista, Fabrício Queiroz, é quem deverá dar as explicações sobre os depósitos que foram feitos em sua conta.

O Coaf indicou que a conta do ex-motorista recebeu diversos depósitos incompatíveis, a princípio, com sua renda. Um cheque de R$ 24 mil chegou a ser emitido por Queiroz para Michelle Bolsonaro, mulher de Bolsonaro e futura primeira-dama.

O problema é que em época de delação, não dá arriscar tudo nas explicações de um ex-motorista. É verdade que, a princípio, o ex-motorista não deve nada a justiça, portanto, não teria porque fazer uma delação. Como sempre, Bolsonaro encontra respostas fáceis para problemas difíceis.

10/12/2018 | Madson Vagner

Nem começou o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro e ele já está envolto em escândalos. Apesar de que o presidente eleito parece estar disposto a pagar pra ver. O caso se refere a identificação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta bancária do ex-motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito.

Depois do destaque sobre o assunto em matéria do jornal O Estado de S. Paulo, nesse domingo, quando voltava da praia, Bolsonaro foi perguntado sobre o caso e disse que o ex-motorista, Fabrício Queiroz, é quem deverá dar as explicações sobre os depósitos que foram feitos em sua conta.

O Coaf indicou que a conta do ex-motorista recebeu diversos depósitos incompatíveis, a princípio, com sua renda. Um cheque de R$ 24 mil chegou a ser emitido por Queiroz para Michelle Bolsonaro, mulher de Bolsonaro e futura primeira-dama.

O problema é que em época de delação, não dá arriscar tudo nas explicações de um ex-motorista. É verdade que, a princípio, o ex-motorista não deve nada a justiça, portanto, não teria porque fazer uma delação. Como sempre, Bolsonaro encontra respostas fáceis para problemas difíceis.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: