A maioria dos prefeitos terminam e iniciam o ano reclamando. No fim, os gestores choram o pagamento do 13º salário e no início reclamam do reajuste do salário mínimo. Apesar de alguns nem terem conseguido pagar o 13º, já têm que se preocupar com o reajuste, que este ano será de 5,45%. O Projeto de Lei já foi aprovado pelo Congresso e está para sansão presidencial.

Mesmo com a reclamação da Confederação Nacional dos Munícios, a CNM, sobre um impacto de R$ 2,3 bilhões, o caminho é sem volta; Bolsonaro vai sancionar. Aos prefeitos resta se preparar para a despesa. É a história do muito para quem paga, mas pouco para quem recebe. Para os servidores, o incremento representa apenas R$ 52 reais, quase nada para quem espera pelo aumento todo o ano.

Apesar da choradeira, os prefeito têm o que comemorar, terão carta branca para pagar, viva a flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal. Agora é só conseguir o dinheiro.

A maioria dos prefeitos terminam e iniciam o ano reclamando. No fim, os gestores choram o pagamento do 13º salário e no início reclamam do reajuste do salário mínimo. Apesar de alguns nem terem conseguido pagar o 13º, já têm que se preocupar com o reajuste, que este ano será de 5,45%. O Projeto de Lei já foi aprovado pelo Congresso e está para sansão presidencial.

Mesmo com a reclamação da Confederação Nacional dos Munícios, a CNM, sobre um impacto de R$ 2,3 bilhões, o caminho é sem volta; Bolsonaro vai sancionar. Aos prefeitos resta se preparar para a despesa. É a história do muito para quem paga, mas pouco para quem recebe. Para os servidores, o incremento representa apenas R$ 52 reais, quase nada para quem espera pelo aumento todo o ano.

Apesar da choradeira, os prefeito têm o que comemorar, terão carta branca para pagar, viva a flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal. Agora é só conseguir o dinheiro.

e-Política
MadsonVagner
Reajustes são reclamação recorrente dos prefeitos

A maioria dos prefeitos terminam e iniciam o ano reclamando. No fim, os gestores choram o pagamento do 13º salário e no início reclamam do reajuste do salário mínimo. Apesar de alguns nem terem conseguido pagar o 13º, já têm que se preocupar com o reajuste, que este ano será de 5,45%. O Projeto de Lei já foi aprovado pelo Congresso e está para sansão presidencial.

Mesmo com a reclamação da Confederação Nacional dos Munícios, a CNM, sobre um impacto de R$ 2,3 bilhões, o caminho é sem volta; Bolsonaro vai sancionar. Aos prefeitos resta se preparar para a despesa. É a história do muito para quem paga, mas pouco para quem recebe. Para os servidores, o incremento representa apenas R$ 52 reais, quase nada para quem espera pelo aumento todo o ano.

Apesar da choradeira, os prefeito têm o que comemorar, terão carta branca para pagar, viva a flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal. Agora é só conseguir o dinheiro.

02/01/2019 | Madson Vagner

A maioria dos prefeitos terminam e iniciam o ano reclamando. No fim, os gestores choram o pagamento do 13º salário e no início reclamam do reajuste do salário mínimo. Apesar de alguns nem terem conseguido pagar o 13º, já têm que se preocupar com o reajuste, que este ano será de 5,45%. O Projeto de Lei já foi aprovado pelo Congresso e está para sansão presidencial.

Mesmo com a reclamação da Confederação Nacional dos Munícios, a CNM, sobre um impacto de R$ 2,3 bilhões, o caminho é sem volta; Bolsonaro vai sancionar. Aos prefeitos resta se preparar para a despesa. É a história do muito para quem paga, mas pouco para quem recebe. Para os servidores, o incremento representa apenas R$ 52 reais, quase nada para quem espera pelo aumento todo o ano.

Apesar da choradeira, os prefeito têm o que comemorar, terão carta branca para pagar, viva a flexibilização da Lei de Responsabilidade Fiscal. Agora é só conseguir o dinheiro.

Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: