e-Política
MadsonVagner
*PUBLICIDADE
Domingos Filho articula frente com Giovanni, Normando, Fabiano e Gledson

Liderado por Domingos Filho e Domingos Neto, o PSD conversou com os pré-candidatos Giovanni Sampaio, Normando Sóracles, Francisco Fabiano e Gledson Bezerra.

11/02/2020 | Madson Vagner

A passagem da cúpula do PSD cearense por Juazeiro do Norte, trouxe novas possibilidades para corrida eleitoral deste ano. O ex-vice-governador do Estado, Domingos Filho, e o deputado federal Domingos Neto, articulam um grupo que congregue os pré-candidatos Normando Sóracles (PSD), Giovanni Sampaio (PSD), Francisco Fabiano (Pros) e Gledson Bezerra (PMN) na mesma aliança.

No sábado (08), durante encontro dos pré-candidatos com a cúpula do partido, foi formalizado convite para que o vereador Gledson Bezerra, ex-presidente da Câmara, se filie ao partido. Segundo informações, Normando e o vice-prefeito Giovanni estariam dispostos e desistir da disputa, caso Gledson aceitasse o convite.

A filiação ao PSD, aproximaria Gledson da base política do governador Camilo Santana (PT). A articulação está sendo feita por Giovanni Sampaio que garante agir para fortalecer o partido e apresentar uma alternativa para a eleição de Juazeiro do Norte. Na quarta-feira (05), Giovanni oficializou seu rompimento político com o prefeito Arnon Bezerra (PTB).

Na reunião, Normando Sóracles disse que estaria disposto desistir da pré-candidatura para atrair a liderança de Gledson ao partido. Para Normando, a vinda de Gledson fortalece o partido que deve entrar na disputa com chances de eleição, além possibilitar uma boa alternativa de candidatura na base do Governo.

Ao Jornal do Cariri, Gledson disse que ficou muito feliz com o convite, mas que deve, antes de aceitar, conversar com o Podemos. Gledson afirma ter uma conversa adiantada com o partido e, por isso, quer expor as possibilidades do novo convite para chegar a uma saída amigável e viável para ambas as siglas. Caso decida pelo PSD, Gledson não quer perder o apoio do Podemos.

Gledson disse não ter posição ideológica contra o Governo e o governador Camilo Santana (PT) e que não teria problema em assumir uma postura de base de apoio. “Admiro o trabalho do governador Camilo e tentei por vezes uma aproximação, mas entendo que tudo acontece no seu tempo,” disse. O vereador assumiu ter votado em Camilo.

*PUBLICIDADE
*PUBLICIDADE
Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: