e-Política
MadsonVagner
Em reunião ministerial, Onyx Lorenzoni anuncia ‘caça às bruxas’

O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comandou a primeira reunião ministerial, nessa quinta-feira, 3. Entre muitas ações discutidas na reunião o governo Bolsonaro vai iniciar uma verdadeira caça às bruxas. E o exemplo deve ser dado pela Casa Civil. O ministro Onyx Lorenzoni, já autorizou um levantamento sobre todas as nomeações feitas nos […]

04/01/2019 | Madson Vagner

O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comandou a primeira reunião ministerial, nessa quinta-feira, 3. Entre muitas ações discutidas na reunião o governo Bolsonaro vai iniciar uma verdadeira caça às bruxas. E o exemplo deve ser dado pela Casa Civil. O ministro Onyx Lorenzoni, já autorizou um levantamento sobre todas as nomeações feitas nos últimos 30 dias e todos os cargos de confiança ainda nomeados na sua pasta.

A ordem é exonerar todos os cargos de confiança. Para o retorno, serão analisados critérios técnicos e políticos, além da identificação do responsável pela indicação e qual sua posição ideológica. Ou seja, nada de comunistas e socialistas no governo. E a caça vai se estender a todos os órgãos do governo Bolsonaro.

‘Movimentação incomum’

Ainda na reunião, Onyx Lorenzoni anunciou uma devassa nas contas do Governo de Michel Temer. Vai investigar e revisar as contas dos últimos 30 dias. Lorenzoni admitiu ter detectada uma “movimentação incomum” no final da gestão anterior. Onyx se referiu a recursos destinados aos ministérios.

Uma dessas operações, já foi, inclusive, suspensa pela ministra das Mulheres e dos Direitos Humanos, a pastora Damares Alves, que suspendeu um contrato de R$ 44 milhões com a Universidade Federal Fluminense (UFF). O contrato para elaborar um projeto de apoio institucional ao desenvolvimento do projeto “Fortalecimento Institucional da Funai”, não teve processo licitatório. Foi uma contratação direta entre os dois órgãos federais.

Governo fora da disputa

Onyx Lorenzoni voltou a dizer que o governo não vai interferir nas disputas do Congresso. Ele separou as decisões do PSL, partido do presidente, das decisões do governo. O PSL anunciou apoio à reeleição de Rodrigo Maia a presidência da Câmara e deve lançar o senador paulista Major Olímpio para a presidência do Senado.

Onyx avaliou que “todos os governos que tiveram algum grau de intervenção no Congresso, erraram”. Para o apoio na Câmara, o PSL pediu as chefias da Comissão de Cidadania e Justiça, da Comissão de Finanças e Tributação e também uma vaga na mesa diretora.

*PUBLICIDADE
*PUBLICIDADE
Especial/Reportagem

Livro

Leia Também: